Medição do grau de enchimento de moinhos com scanner

Medição do grau de enchimento de moinhos com scanner

Escrito em 17/05/2020


Edérison Cunha Rêgo, técnico de processo; Fagner Alves de Souza, técnico de processo; Pâmela Karem Costa, supervisora de processo; Allan Suhett Reis, gerente de processo; Victor de Souza Silva, engenheiro de processo; e Alair Mariano de Oliveira, engenheiro sênior – todos da Mineração Paragominas, da Hydro – apresentam o trabalho “Medição do grau de enchimento de moinhos com scanner”

Na planta de beneficiamento da Mineração Paragominas, no Pará, existem quatro moinhos, responsáveis ​​pela cominuição da bauxita, permitindo atender às especificações do produto. Dentro dos moinhos, as bolas de aço são as principais responsáveis ​​pela quebra das partículas, sendo essencial ter uma carga de bolas correta para maximizar o desempenho da moagem e do equipamento.

À medida em que as bolas de aço passam pelo processo de desgaste durante as operações, se faz necessário medir a carga de corpos moedores (grau de enchimento). No método convencional, o responsável por essa atividade precisava entrar nos moinhos e realizar as medidas manualmente, com trena a laser, gerando exposição a diferentes riscos, como explosão e/ou desprendimento de corpos moedores, e outras condições de risco associadas a uma atividade em espaço confinado.

Esse trabalho apresenta uma alternativa mais segura, realizando a medição do grau de enchimento utilizando scanner, possibilitando executar a tarefa sem entrar nos moinhos, eliminando os riscos mencionados. Além disso, esse método fornece um resultado de carga de corpos moedores de forma mais confiável, uma vez que o scanner tem a capacidade de fornecer resultados muito precisos.

Sistema de varredura

O processo de beneficiamento de bauxita na Mineração Paragominas consiste essencialmente em desagregação, adequação química e granulométrica e transporte de material via mineroduto. O melhor aproveitamento do minério é de fundamental importância, devido aos altos custos operacionais nas etapas de extração e beneficiamento. As operações unitárias que compõem o circuito consistem em britagem, moagem e classificação.

 

Para controlar a qualidade do produto final e garantir a produção na planta de beneficiamento é de fundamental importância que todos os equipamentos estejam nas condições operacionais adequadas, uma vez que a qualidade física e química do minério que alimenta a planta apresenta variabilidade.

As etapas mais importantes no beneficiamento é a moagem, que consiste em dois circuitos: moinho SAG e moinho de bolas. Uma das variáveis que garante o correto desempenho desses equipamentos é o grau de enchimento (carga de bolas) dos mesmos.

Assim, realizou-se um trabalho com o objetivo de buscar alternativas para eliminar a exposição dos colaboradores aos riscos em questão, adequando-se a uma atividade muito mais segura.

O scanner topográfico é um equipamento que a Mineração Paragominas já possui. Portanto, testes foram realizados com esse equipamento, para avaliar a viabilidade de utilizá-lo nas medições dos moinhos.

Com sistema de varredura a laser 3D, obtém resultados de alta precisão, capaz de gerar mais de 525.000 pontos/s, com aplicabilidade em diversas áreas: levantamento topográfico, monumentos, mineração, refinarias e instalações industrias e muitas outras, caracterizadas pela grande complexidade dos elementos envolvidos. Além disso, é um equipamento de fácil manuseio e ágil.

O Scanner apresentou ótimos resultados em termos de acuracidade nas medições e segurança da atividade.

Com a leitura do scanner topográfico, conseguiu-se imagens em 3D do interior do moinho e, consequentemente, todos os pontos necessários para fazer a medição sem necessidade de acesso ao espaço confinado.

Antes da implementação da melhoria, o tempo de exposição ao risco que os colaboradores eram submetidos era em torno de 2 horas a cada medição. Com a implementação da melhoria, essa exposição foi eliminada.