Aplicação de metodologia Lean 4.0 no sistema de gestão da bauxita

Aplicação de metodologia Lean 4.0 no sistema de gestão da bauxita

Escrito em 20/04/2020


Com base na metodologia Lean, mais especificamente o Lean digital ou Lean 4.0[EDPVS1] , fez-se o aperfeiçoamento das ferramentas do Sistema de Gestão da Bauxita e Alumina (BABS), da Mineração Paragominas, mina de bauxita da Hydro.

 

Neste projeto, foram definidos 12 ferramentas do BABS, cujo uso é frequente e/ou concentra informações estratégicas, para aplicar os princípios do Lean digital ou Lean 4.0. Utilizou-se do pensamento A3 para definir as etapas do trabalho, incluindo contextualização do problema, análise das condições iniciais, definição de objetivos e metas, análise do problema e da solução proposta, plano de ação e indicadores de acompanhamento.

 

A digitalização das ferramentas Lean utilizou de recursos essenciais para o sucesso desse trabalho, onde destacam-se: MS Power Automate, Gateway de dados, SQL, Power BI e Big Data.

 

Ao final do trabalho, foi disponibilizado um único painel, que concentra todas as ferramentas Lean digital do BABS, disponibilizando diversas informações para o processo decisório das lideranças e staff em tempo real. Reduziu-se também, drasticamente, os recursos para atualizar todas essas mesmas informações que estavam em painéis separados, onerando a área do BABS.

 

Também ficou comprovado o impacto positivo do Lean digital do BABS, através de análise de correlação múltipla dos principais indicadores com a frequência de uso dessas ferramentas pelas áreas clientes da Mineração Paragominas.

 

A bauxita e alumina representam os dois primeiros elos da cadeia de valor do alumínio e o trabalho de criação e aplicação de metodologia Lean 4.0 (Lean digital[EDPVS2] ) aplicada ao sistema de gestão foi desenvolvida na Mineração Paragominas, uma das maiores minas de bauxita do mundo, situada na cidade de Paragominas, no Estado do Pará, cujo produto processado é enviado por mineroduto para a Alunorte,  a maior refinaria de alumina do mundo, situada em Barcarena, no mesmo Estado.

 

O Sistema de Gestão de Bauxita (BABS) e Alumina é parte da estratégia da empresa em direção à sua ambição de ser sustentável e mais rentável, implantando os conceitos e as ferramentas do gerenciamento Lean, compartilhando melhores práticas e tendo como base o “Jeito Hydro”.

 

A abordagem do BABS consiste na implantação de seus princípios e de suas ferramentas fundamentais de maneira sequencial e integrada. Desta forma, os desperdícios são eliminados e os resultados maximizados, tais como redução na taxa de incidentes, aumento da estabilidade dos processos, aumento da produtividade e redução de custo.

 

Os cinco princípios que sustentam as atividades nas operações, são os seguintes: processos de trabalho padronizados, relações bem definidas entre clientes e fornecedores, fluxo otimizado, times dedicados e liderança visível.

 

Utiliza-se de diversas ferramentas tradicionais da qualidade como Gemba Walk, 5S, procedimentos operacionais padrão e sua verificação de efetividade. Todas essas ferramentas são suportadas por avaliações utilizando formulários eletrônicos com acesso na palma da mão (uso de celulares, computadores ou notebook), e todas as informações são compiladas por um sistema de SQL para, de forma rápida, gerar dados e comunicação assertiva. 

 

O objetivo deste estudo é mostrar o uso da metodologia Lean 4.0 (ou Lean digital) na implantação de uma governança das informações do Sistema de Gestão de forma totalmente digitalizada, com o intuito gerenciar e gerar melhorias sustentáveis nas áreas de segurança, pessoas, custo e otimização de processos.  

 

O objetivo principal é mater a previsibilidade dos sistemas existentes em uma performance de classe mundial.

[EDPVS3] 

Antes, as informações eram, além de descentralizadas, despadronizadas, o que gerava certo desconforte para o usuário, visto que a maneira de se obter informação relevante do relatório era diferente em cada um deles. Existia muitas bases de dados duplicadas, nos diversos modelos, o que contribui para a lentidão do processo.

 

Os dados eram gravados em listas de Sharepoint, que além de servir como uma interface de visualização, também pode ser usado como banco de dados, porém como limitações a partir de  mil linhas.

 

Somando as informações oriundas do 5S, WOC, PRO WOC e registro de melhorias mensais, já existiam mais de 50.000 linhas de informações das ferramentas do BABS, armazenados em 20 meses de implantação das ferramentas do Lean digital. Isso deixava o carregamento das informações para os modelos de dados lento, bem como a atualização rotineira, muitas vezes exigindo que duas pessoas cuidassem dessa atividade.

 

E para finalizar essa análise, esses registros eram frágeis, devido acesso facilitado via Sharepoint, e não existia duplicidade e nem rastro digital dessa informação, o que fragilizava a confiabilidade nos dados gravados.

 

Vantagem competitiva

 

Desenvolver modelos Lean digitais para embasar uma vantagem competitiva sustentável de longo prazo é fundamental para sustentar negócios cada vez mais competitivos. Ser capaz de digitalizar de maneira eficaz e eficiente o fluxo de valor é, inquestionavelmente, uma fonte de vantagem competitiva para os tempos atuais.

Identificar e integrar as ferramentas Lean digitais mais adequadas à realidade da empresa, requer uma profunda compreensão de todos stakeholders relacionados, suas necessidades, e o impacto destes para o atingimento dos resultados esperados. Bem como se faz necessário uma sólida compreensão e análise das tecnologias oferecidas e de sua maturidade em relação a empresa.

Conforme foi possível observar nos resultados do trabalho, com o Lean Digital  foram direcionados todos os fluxos de informações oriundos das ferramentas digitais, formando um big data do BABS, onde se ganhou com informações precisas, assertivas, e que não oneravam mais os recursos de mão-de-obra do sistema de gestão. Constatou-se dessa forma, uma redução de 30 horas semanais somente com atividades de carregamento de informações e com atualizações dos diversos painéis já existentes.

Constatou-se também, a influência positiva do uso das ferramentas digitais do BABS nos indicadores críticos de desempenho, onde destaca-se a influência do WOC e 5S na produção total desaguada, e a correlação entre a quantidade de melhorias mensais com a redução da frequência de acidentes, variação do inventário, consumíveis e custo variável da empresa.

A equipe continuará a acompanhar o desempenho dos modelos digitais desenvolvidos, onde será disponibilizado uma pesquisa de satisfação da ferramenta única criada, para mensurar o grau de satisfação do usuário. Será disponibilizado via plataforma digital, treinamento adequado para se extrair o melhor que a ferramenta pode oferecer ao usuário.

A medição da correlação do indicador-chave de desempenho com as ferramentas Lean digitais do BABS serão acompanhadas com frequência, para suportar o processo de melhoria contínua da Mineração Paragominas.

 

 



Israel Oliveira Rocha, especialista de qualidade



Gustavo Lopes da Silva, gerente de sistemas de gestão



Sandra Gonçalves Figueiredo, analista de qualidade



Leandro Barbosa Lima, especialista de qualidade