Setor de rochas ornamentais brasileiro manteve estabilidade em 2020

Setor de rochas ornamentais brasileiro manteve estabilidade em 2020

Escrito em 19/01/2021
Redação OE


O setor de rochas ornamentais mostrou recuperação após o início da pandemia e encerrou 2020 acumulando um faturamento de US$ 987,4 milhões, com recuo de 2,65% em relação ao ano anterior.

Comparando os dados do último mês do ano (dezembro) com relação ao ano anterior, as exportações nacionais registram alta de 16,76%.

Segundo avaliação do Centro Brasileiro dos Exportadores de Rochas Ornamentais (Centrorochas) e do Sindicato das Indústrias de Rochas Ornamentais, Cal e Calcários do Estado do Espírito Santo (Sindirochas), o desempenho do segundo semestre do ano foi surpreendente e, não fosse a pandemia, o ano encerraria com números melhores do que os registrados ao final de 2020.

Pesquisas realizadas pelo Centrorochas e Sindirochas apontaram otimismo dos empresários para 2021.  

O Espírito Santo, maior estado produtor e exportador do segmento de rochas ornamentais no país, mesmo registrando queda de 1,8%, inferior à apresentada nacionalmente, foi responsável por 82,42% (US$ 813,773 milhões) do faturamento do ano passado. Minas Gerais (10,72%) e Ceará (2,55%) ocupam o posto de segundo e terceiro maiores estados exportadores. Juntos, os três estados são responsáveis por 95,69% das exportações nacionais.

Estados Unidos (62,89%), China (12,36%), Itália (5,74%) e México (3,24%) foram os quatro maiores compradores de rochas brasileiras, segundo as entidades do segmento.